Campanha Assessor de Imprensa é Jornalista reforça luta pelos direitos dos profissionais do segmento

A campanha “Assessor de Imprensa é Jornalista” foi lançada pela FENAJ e seus 31 Sindicatos filiados no 22º ENJAI, que ocorreu em Salvador e contou com a presença de 250 profissionais de todo o país. O objetivo da campanha é defender os direitos dos jornalistas que atuam em assessoria de imprensa, um segmento que representa 43,4% dos trabalhadores da comunicação no Brasil.

Segundo a presidenta da FENAJ, Samira de Castro, o ENJAI foi um momento importante para reafirmar que a assessoria de imprensa é um espaço de produção de informação pública e que exige a qualificação e o reconhecimento dos jornalistas. “Queremos atualizar o Decreto-Lei nº 972, que regula a profissão de jornalista, para incluir a função de assessor(a) de imprensa, além de lutar pela aprovação da PEC 206/2012, que restitui a exigência de formação superior em Jornalismo, e pelo Conselho Federal de Jornalistas”, explica.

Ela destaca que os assessores de imprensa enfrentam muitos problemas no mercado de trabalho, como a falta de vínculo formal, os assédios e a exploração. “Precisamos nos organizar e nos fortalecer para garantir nossos direitos e nossa dignidade”, conclui.

Folder divulga os direitos

A campanha disponibiliza um folder informativo que esclarece os direitos dos profissionais que atuam em assessoria de imprensa. Um dos mais importantes é o direito à jornada especial de trabalho de 5 horas/dia, que é desrespeitado pelos empregadores que contratam com nomes como “analista de comunicação”.

De acordo com a presidenta da FENAJ, a partir do conhecimento dos direitos os jornalistas poderão reivindicar seu cumprimento por meio dos sindicatos.

Clique aqui e acesse o folder da campanha

Nas redes sociais, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás também preparou publicações específicas sobre o assunto da campanha.

Fonte: Fenaj

5º Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos em Jornalismo será no dia 7 de dezembro

No dia 7 de dezembro, às 19 horas, será realizada a cerimônia de entrega do 5 ̊ Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos em Jornalismo, no auditório da ADUFG Sindicato. Na ocasião também ocorrerá um ato de solidariedade ao Sindicato de Jornalistas da Palestina. O prêmio é uma iniciativa do Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino, do Sindicato dos Jornalistas de Goiás, do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Direitos Humanos e da Faculdade de Informação e Comunicação da UFG.

O objetivo do prêmio é reconhecer e valorizar os trabalhos jornalísticos de jornalistas goianos e de estudantes universitários a partir do 3º ano dos cursos de Jornalismo e Rádio e TV, que abordam temas relacionados aos direitos humanos em Goiás, publicados no ano de 2022. Os trabalhos premiados são divididos em seis categorias: Fotografia, Texto Impresso, Web, Rádio, TV e Arte (charge, quadrinhos e ilustrações).

Além disso, em comemoração ao Centenário de Dom Tomás Balduino foi criada uma categoria especial que contempla dois temas ligados à trajetória de Dom Tomás Balduino: reforma agrária e povos indígenas.

O prêmio já homenageou 44 jornalistas e estudantes que produziram reportagens sobre personalidades e fatos marcantes da luta pelos direitos humanos em Goiás, como Irmã Guida, Frei João Xerri, Romerson Alves, Valdir Misnerovicz, Luiz Borges, Diessyka Lorena, Natalino de Jesus e Lázaro da Luz.

Para saber mais sobre os vencedores(as), seus trabalhos e homenageados(as) das edições anteriores, visite o site www.premiodhdomtomasbalduino.com.br.

Sobre o troféu comemorativo

O troféu deste 5º Prêmio foi criado pelo artista indígena José Alecrim, que se inspirou na identidade visual do Prêmio e no legado de Dom Tomás, cujas comemorações de seu Centenário de nascimento encerram-se esse ano. 

José Alecrim
José Alecrim

José Alecrim, de origem Kanela, é artista visual e designer graduado pela PUC-Goiás (2013). Pós- graduando em Artes Visuais, atualmente é professor Arte-Educador no Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte (SEDUC-Goiás), atuando na formação de professoras, professores e estudantes da Rede Estadual de Educação em projetos de implementação da lei no 11.645/08, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”. 

Sua produção artística tem foco na educação antirracista, visualidade, multidiversidade dos povos indígenas, migrações, retomadas e presença dos povos indígenas nas cidades. Ele tem experiência em projetos gráficos, ilustração editorial e produção de livros. 

Conheça o Júri

Mariza Fernandes

Mariza Fernandes

Professora efetiva no curso de Jornallismo da Faculdade de Informação e Comunicação na UFG, Mariza é Doutora e Mestre em Geografia pelo Instituto de Estudos Socioambientais (Iesa) da UFG, na linha de pesquisa Dinâmicas Socioespaciais. Graduada em Comunicação Social – Bacharelado em jornalismo pela UFG e pesquisadora do Laboratório de Estudos de Gênero, Étnico-Raciais e Espacialidades do Instituto de Estudos Socioambientais (LaGENTE/IESA/UFG) e do Pindoba – Grupo de Pesquisa em Narrativas da Diferença, vinculado à Faculdade de Informação e Comunicação da UFG. Foi vencedora do Prêmio Pedro Krotsch de Estudios sobre la Universidad (2017) e do Prêmio de Popularização da Ciência, da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC- GO), 2015. Membro permanente da Comissão de Heteroidentificação da UFG. Suas pesquisas abordam os seguintes temas: Ações afirmativas; relações étnico-raciais, comunicação e relações étnico-raciais, a temática racial na Geografia; interseccionalidade e raça. 

Noêmia Felix

Noêmia Felix

Jornalista e professora do curso de Jornalismo da Pontifícia Universidade Católica de Goiás. Doutora em Comunicação e Sociedade, pela UnB (2017), com pesquisas na área de Jornalismo, Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Análise Discursivas. Mestre pela UnB (2005) com pesquisas na área de Comunicação e Política. Especialista em História e graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Federal de Goiás/UFG (1998). É diretora-executiva do site Onze de Maio (https://onzedemaio.com.br) e criadora e gestora do site de Jornalismo Ambiental (www.jornalismoambiental.net). Membra da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Jornalismo (SBPJor) e do Grupo de pesquisa de Jornalismo Ambiental, liderado pela professora Ilza Maria Tourinho Girardi, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul/UFGRS. Parecerista do Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo Ambiental, da Sociedade Brasileira de Pesquisadores de Jornalismo e da Sociedade Brasileira de Pesquisa em Jornalismo. Seus temas de pesquisa são: Comunicação, Jornalismo, Meio Ambiente e Problemas Socioambientais, Desenvolvimento Sustentável, Análise de Discurso e Conteúdo, e da relação da Comunicação com a Política, Ciência e espaço público e cidadania. Ela foi responsável pela comunicação e orientação de alunos de Jornalismo no Programa de Estudos e Extensão Afro-brasileira (Proafro) da PUC Goiás. 

Pedro Henrique Albernaz

Pedro Henrique Albernaz

Militante do Movimento de Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos (MTD), bacharelando em direito pela Universidade Federal de Goiás (UFG) e Assessor Jurídico Popular do Conselho Pastoral dos Pescadores (CPP). Teve atuação na criação da Campanha Estadual Parem os Despejos com intensa colaboração na Campanha Nacional Despejo Zero, que monitora ocupações urbanas e rurais em todo o País e esteve na linha de frente das articulações que permitiram a suspensão dos despejos durante a pandemia e originou as comissões de conflitos ou soluções fundiárias como mediação para proteção de direitos humanos de centenas de milhares de famílias em situação de vulnerabilidade no Brasil e em Goiás. 

Júri da categoria Especial

Na categoria Especial, foi formado um júri com integrantes da Comissão Centenário de Dom Tomás Balduino com defensores(as) de direitos humanos que trabalharam lado a lado com o bispo dominicano. São eles(as): Frei José Fernandes, Frei Marcos Sassatelli, Flavio Barbosa e Irmã Sandra, integrantes da Comissão Dominicana de Justiça e Paz do Brasil, e a jornalista Claudia Nunes, da coordenação executiva do Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino. 

Texto com informações da Comissão Organizadora do Prêmio

Desconto em combustível para jornalistas

Mais um benefício para os(as) jornalistas filiados(as) em dia ao Sindjor Goiás! Para recebê-lo basta acessar o formulário disponibilizado e solicitar o cadastro.

Assim que o cadastro for confirmado o(a) jornalista poderá baixar o app da Clubgas para começar a utilizar. Em cada abastecimento será gerado um código que deverá ser informado ao frentista do posto credenciado.

E, se você não é filiado(a) ainda ou não está em dia com a sua contribuição, basta entrar em contato conosco pelo Whatsapp da secretaria e regularizar a sua situação para usufruir destes e outros benefícios, além de contribuir com a categoria.

Clique aqui e preencha o formulário.

Nota de solidariedade

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás se solidariza com a jornalista FABIANA PULCINELLI. Ela foi injustamente atacada em redes sociais apenas por fazer um trabalho correto como jornalista, trazendo ao público informações sobre a atuação da PM de Goiás e dados sobre opinião de um desembargador durante um julgamento.
A profissional em questão fez um trabalho digno de elogios, com sobriedade, sem emitir opinião sobre qualquer pessoa e mostrando questões preocupantes relativas à segurança em Goiás.

A Diretoria e FENAJ

7º EEJAI vai ocorrer em Goiânia no dia 28 de outubro

O 7º Encontro Estadual de Jornalistas em Assessoria de Imprensa (EEJAI), vai ocorrer no dia 28 de outubro, durante todo o dia, com a abertura às 8h30, no Auditório da Casa da Indústria, em Goiânia. O tema central de 2023 é “Assessoria de Imprensa e os desafios da atualidade”. O valor da inscrição varia de R$ 30,00 a R$ 75,00, dependendo da categoria e do lote. As inscrições podem ser feitas na plataforma Even3, no endereço: https://www.even3.com.br/7eejaigo/.

O EEJAI tem como objetivo geral fortalecer o Jornalismo e a atuação do jornalista profissional que atua em assessoria de imprensa em Goiás e no Brasil, discutindo seu papel na sociedade. Ele também é uma preparação para o Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Imprensa, promovido pela Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ. É um evento que aglutina a qualificação profissional, os debates éticos-políticos sobre o exercício desde importante segmento da profissão. De forma preparatória os Estados realizam seus EEJAI.

O evento é destinado a jornalistas profissionais; estudantes de jornalismo; professores de jornalismo; empresários da área do Jornalismo e representantes de entidades/organismos interessados na discussão do Jornalismo.

Programação:

Dia 28/10/2023 (sábado)

8h30 – Abertura – Mesa: Regulamentação da profissão e a função de assessor de imprensa.

– Maria José Braga – membro do comitê diretor da FIJ – Federação Internacional dos Jornalistas e ex-presidente da FENAJ

– Viviane Maia – coordenadora curso de jornalismo Faculdade UniAraguaia

– Laurenice Noleto – mediadora

10h00 – Crise do jornalismo e reflexos na assessoria de imprensa.

– Luiz Spada – O Popular

– Altair Tavares – Portal Diário de Goiás

– Francisco Costa – Portal Mais Goiás, mediador

12h30 – Intervalo para almoço (inscritos no evento terão direito ao almoço no local sem custo)

13h30 – As várias assessorias de imprensa: institucional, política, sindical, empresarial.

– Fabrícia Hamu – GrupoDois Consultoria

– Adriana Lima – Sebrae

– Heloísa Lima – TCE

– Denise Rasmussen – mediadora 

15h00 – Plenária para discussão de teses e eleição de delegados ao ENJAI.

Clique aqui e inscreva-se agora!

Gostaria de ajudar na divulgação do evento? Então clique aqui para baixar os materiais de divulgação para as redes sociais.

Inscrições para o Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos foram prorrogadas até o dia 30 de setembro

O Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos é uma iniciativa que visa valorizar e reconhecer o trabalho de jornalistas e estudantes que contribuem para a difusão e a defesa dos direitos humanos na sociedade. O Prêmio foi criado em 2018 por uma parceria entre o Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino, a Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da Universidade Federal de Goiás (UFG), o Núcleo de Estudos e Pesquisa em Direitos Humanos da UFG e o Sindicato dos Jornalistas de Goiás. 

O Prêmio tem como objetivos: 

a) Premiar jornalistas e estudantes universitários que, por meio de suas produções jornalísticas, colaboram com a promoção dos direitos humanos em diferentes categorias, 

b) Homenagear personalidades e profissionais da comunicação que se destacam na luta pelos direitos humanos, 

c) Honrar a memória de Dom Tomás Baduino, Bispo Dominicano falecido em 2 de maio de 2014, incansável defensor dos direitos humanos, dos direitos dos pobres, dos indígenas, comunidades tradicionais, e da justiça social.  

Em sua quinta edição, o Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos abrange o estado de Goiás e aceita inscrições de trabalhos publicados no ano de 2022 em seis categorias: produção jornalística em texto, produção jornalística em áudio, produção jornalística em vídeo, produção jornalística na web, fotografia e arte.  

Em comemoração ao Centenário de Dom Tomás Balduino, foi criada a categoria especial “Tributo a Dom Tomás Balduino” nas seis categorias (Texto, áudio, vídeo, web, fotografia e arte) que premiará reportagens sobre dois temas muito presentes em sua trajetória: “Reforma Agrária” e “Povos Indígenas”. Nesta, poderão ser inscritos trabalhos publicados nos últimos cinco anos (incluindo 2023 até a data da abertura do período de inscrições), ou seja, de 2019 a 2023, em veículos de comunicação estaduais ou nacionais desde que os autores ou autoras residam no estado de Goiás. Será premiado um trabalho de cada tema. 

Cada categoria receberá inscrições separadas de jornalistas profissionais e estudantes universitários estaduais do 3˚ ano de Jornalismo e Rádio e TV (sem necessidade de editora e com certificação do professor da disciplina cursada). 

Mais informações no endereço: https://premiodhdomtomasbalduino.com.br/ 

Sindjor promove reunião para jornalistas autônomos

Você é um(a) jornalista autônomo(a) e está procurando uma forma de valorizar o seu trabalho ou não sabe como calcular o valor dele? Então você não pode perder a reunião on-line que o Sindicato dos Jornalistas de Goiás vai promover no dia 04 de outubro, quarta-feira, às 19h30, online, via plataforma Teams. É necessário realizar a inscrição previamente para receber o link da sala.

O objetivo é discutir e aprovar uma relação de valores de referência para os serviços prestados pelos jornalistas autônomos em diversas áreas, como assessoria de imprensa, reportagem em vídeo, reportagem fotográfica, reportagem jornalística e assessoria de comunicação para mídias digitais. A partir destes valores os profissionais poderão negociar melhor com seus clientes e evitar a precarização do trabalho.

Essa reunião é fruto de uma consulta feita pelo Sindjor Goiás aos jornalistas autônomos, que puderam opinar sobre os valores que consideram justos e adequados para cada tipo de serviço.

A proposta é que haja uma diferenciação entre prestação de serviços eventual e prestação de serviços contratual por tempo determinado ou passível de renovação automática, bem como a inclusão de um reajuste anual quando se tratar de prestação de serviços mensal por tempo indeterminado.

Essa é uma oportunidade única para você participar de um debate importante para a categoria e garantir que o seu trabalho seja reconhecido e remunerado de forma digna. Não deixe de se inscrever e participar da reunião on-line do Sindicato dos Jornalistas de Goiás.

Contamos com a sua presença!

Acesse o link: https://1sh.me/jornalistasgo ou inscreva-se abaixo.

Piso salarial 2023: luta sindical obteve aumento real acima da inflação

O Sindicato dos Jornalistas do Estado de Goiás obteve aumento real acima da inflação, para os/as jornalistas que atuam no Estado de Goiás.

Após várias reuniões de negociação, o sindicato fechou acordo salarial com as empresas no Estado de Goiás. Pelo acordo, os salários devem receber reposição de 4%, a partir do salário de maio, que é pago no início de junho de 2023. O piso, na negociação, recebeu reposição de 5,45%. Passou de R$ 2.750,00 para R$ 2.900,00. Outras cláusulas financeiras como auxílio-creche igualmente foram reajustadas.

Clique aqui e acesse a Convenção Coletiva de Trabalho 2023-2024.

Filie-se e fortaleça a categoria!

Anuidade sindical: termina dia 31 de julho o prazo para garantir valores sem o reajuste

Excepcionalmente, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Goiás prorrogou o prazo para cobrança da anuidade sindical sem o reajuste referente ao Piso de 2023 até o dia 31 de julho. O valor pode ser parcelado em até 12X no cartão de crédito para novas filiações ou para jornalistas que estejam em atraso com o sindicato.

Os(as) jornalistas que recebem o Piso da categoria contribuem com o valor mensal de 1% do Piso. Para os que recebem o salário, o valor é de 1% do que recebe. E, para jornalistas autônomos, que atuam como MEI, o valor é de 1% do Piso.

O Piso Salarial de 2023 passou a ser de R$ 2.900,00 a partir de 1º de maio de 2023 com vigência até 30 de abril de 2024. Filiar-se ao sindicato fortalece a categoria na luta pelos direitos dos(as) jornalistas. A força coletiva é sempre maior do que a individual.

Confira abaixo os valores vigentes até dia 31 de julho de 2023 para quem recebe o Piso Salarial ou MEI:

  • Para pagamento no PIX – R$ 330,00. O sindicato possui duas chaves PIX: CNPJ 02.426.997/0001-71 ou o e-mail: jornalistasgo@jornalistasgo.org.br.
  • Para pagamento no cartão de crédito – R$ 340,30, que poderá ser parcelado em até 12X. Ou seja, 12 X 28,36. O pagamento é feito via sistema Asaas, neste link: https://www.asaas.com/c/985649241232.
  • O Sindicato recomenda conferir sempre o nome de quem vai receber a transferência ou pagamento antes da efetivação. Em qualquer das situações precisa estar no nome de SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS NO ESTADO DE GOIÁS. Qualquer dúvida, basta o jornalista acionar o sindicato através do WhatsApp (62) 99976-8289;
  • No caso de jornalistas que pagam com base no seu salário e desejam parcelar no cartão de crédito, basta acertar o valor com o sindicato e depois utilizar esse link, informando o valor total referente a 12 meses e depois solicitar o parcelamento: https://www.asaas.com/c/240926255185

Filie-se! Solicite a sua filiação pelo WhatsApp ou coloque em dia o seu pagamento sem o reajuste.

Sindjor Goiás convoca jornalistas autônomos a opinarem sobre tabela de valores

Visando atender a uma reivindicação da categoria de jornalistas autônomos, o Sindicato dos Jornalistas de Goiás disponibilizou um formulário para que esses jornalistas opinem sobre a nova tabela de valores para prestação de serviços eventuais. O formulário ficará disponível até o dia 17 de julho de 2023. Clique aqui e responda agora!

A convocação é destinada a jornalistas autônomos: repórteres cinematográficos, repórteres fotográficos, assessores de comunicação, assessores de imprensa e repórteres de webjornalismo, que atuam no Estado de Goiás.

De acordo com o presidente, Cláudio Curado, a ideia é que o jornalista que atue de forma autônoma tenha uma referência de valores e possa se resguardar ao cobrar pela prestação dos seus serviços jornalísticos. “O Sindicato está ao lado do jornalista. Se existe uma demanda que é importante para o jornalista, então nós iremos apoiar e dar condições para que ocorra da melhor forma possível. Tendo uma tabela de valores como referência e que todos poderão usar, isso vai contribuir também para a valorização profissional de toda a categoria”, aponta. 

Após finalizar o prazo para responder o formulário, o sindicato vai avaliar as respostas e sugestões e, posteriormente, convocará uma reunião on-line para discussão e aprovação da nova tabela de serviços, cuja data será divulgada no momento oportuno.

O formulário disponibilizado aborda sobre os seguintes tópicos:

  • Diferenciação de Prestação de serviços eventual e prestação de serviços contratual por tempo determinado ou passível de renovação automática;
  • Inclusão da tabela de reajuste anual quando se tratar de prestação de serviços mensal, via contrato de 6 meses a 1 ano);
  • Tabela dos serviços de Assessoria de Imprensa; 
  • Tabela para Reportagem em vídeo;
  • Tabela para Reportagem fotográfica;
  • Tabela para Reportagem jornalística;
  • Inclusão de tabela de valores para serviço de Assessoria de comunicação para mídias digitais (site e redes sociais);
  • Discussão dos requisitos e possível criação de um espaço no site do sindicato com o contato dos jornalistas autônomos disponíveis para trabalhos eventuais.

Link para o formulário: https://forms.gle/gEEKuWZnZqTh43Wk8

Sindjor Goiás participa de ações em defesa da ABC e dos trabalhadores

Desde que foi procurado por servidores da Agência Brasil Central e tomou conhecimento da intenção do Governo do Estado de Goiás em mudar a sede da ABC para o Centro Cultural Oscar Niemeyer (CCON) , o Sindjor Goiás tem participado ativamente de ações em defesa dos/as trabalhadores/as. Na última ação, nesta terça-feira, 2 de maio, o presidente, Cláudio Curado, protocolou ofício no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA-GO), solicitando investigação sobre a situação de alvarás e segurança do atual prédio da ABC e das condições do CCON.

No documento protocolado no CREA-GO, o sindicato solicita:

  • Que informe se já foi solicitado ao CREA os pedidos de vistoria necessários para atuação de uma empresa que tem em sua estrutura emissão de ondas de rádio que podem prejudicar o ser humano em um prédio não construído para este fim, no caso, o CCON;
  • Que informe se a atual instalação da ABC possui os alvarás necessários para sua perfeita atuação. Sendo negativa, que providências são possíveis de serem tomadas para resguardar a integridade física dos trabalhadores.

O sindicato não considera razoável que o Estado tenha investido recentemente cerca de 36 milhões de reais em melhorias na estrutura da TV e Rádio Brasil Central e que, sem justificativa plausível, vá jogar boa parte desse dinheiro público fora. Cláudio destaca que existem construções que são feitas para uma finalidade específica. No caso da ABC foi feito e equipado especificamente para uma estrutura de comunicação.

“Certamente a adaptação do prédio do CCON para receber uma TV e ainda o desmonte de uma complexa estrutura de TV para se tornar espaço burocrático da Secretaria de Saúde terá um custo muito maior do que manter a TV em sua atual e específica estrutura e, destinar, por exemplo, o prédio da antiga gráfica do Estado, ao lado da SES, para o fim pensado”, pontua.

No documento protocolado no CREA-A o sindicato reforça que é de conhecimento público que o prédio onde atualmente funciona a ABC foi construído especificamente para esse fim, com áreas arquitetonicamente planejadas para estúdios, redações e outros ambientes de uma emissora de rádio e TV. “O prédio histórico, construído há mais de 50 anos, ainda hoje é moderno e extremamente funcional”, afirma.

O presidente esclarece ainda que o pretexto utilizado pelo Governo para justificar a mudança seria colocar toda a estrutura da Secretaria de Saúde em um único espaço. Porém, Curado argumenta que existe outro prédio ao lado da Secretaria de Saúde, onde existia a desativada gráfica do Estado, que poderia, com custos bem menores, receber a estrutura pretendida pelo Governo.

“Instalar uma estrutura de comunicação em um prédio não construído para esse objetivo implicará em despesas acima do razoável, caracterizando desperdício de dinheiro público. Mas, principalmente, essa mudança estaria expondo jornalistas e outros profissionais aos perigos inerentes a uma empresa que atua com emissão de radiofrequência”, esclarece.

Demais ações do sindicato

No dia 24 de abril, o presidente do Sindjor Goiás  protocolizou ofício no Ministério Público de Goiás ao Procurador Geral  de Justiça, Ciro Terra Perez. No documento o sindicato solicita que o MP-GO faça questionamento ao Poder Executivo para que o mesmo apresente:

  • O real valor investido na ABC nos últimos 8 anos;
  • O custo estimado da reforma necessária para a mudança da ABC para o prédio da CCON, incluindo custo de engenharia, arquitetura, transporte e outros;
  • O custo estimado para adaptação do prédio da ABC para ser usado pela Secretaria Estadual de Saúde;
  • O do Governo do Estado para adaptação do prédio da antiga gráfica do Estado para uso pela SES.

Curado reforça que o Governo não ouviu a sociedade, nem o setor cultural e nem os jornalistas da ABC sobre a mudança.

No dia 12 de abril, o presidente do SindJor-GO participou de Audiência Pública, no Auditório 1 da Assembleia Legislativa de Goiás, ocasião em que foram discutidos assuntos referentes à mudança do prédio e impactos na vida dos(as) trabalhadores(as).

No dia 11 de abril, o Sindjor Goiás sediou uma reunião para debater o assunto e convocou os/as jornalistas da ABC para participarem.

Entenda o caso

O governador Ronaldo Caiado (UB) confirmou a mudança da ABC para o Centro Cultural Oscar Niemeyer no dia 28 de março de 2023. Desde então surgiram críticas do setor cultural e análises dentro do governo sobre possíveis entraves técnicos. Os servidores da ABC se posicionaram contrários à mudança e citam reformas recentes no prédio atual com despesa para instalação de novos estúdios.

Sobre a ABC

A Agência Brasil Central (ABC) é uma Entidade da Administração Indireta do Poder Executivo do Estado de Goiás, denominação que a Lei nº 18.746, de 29 de dezembro de 2014, em seu art. 13, conferiu à então Agência Goiana de Comunicação, criada pelo art. 6º, inciso II, da Lei nº 13.550, de 11 de novembro de 1999.

É uma entidade autárquica estadual, com autonomia administrativa, financeira e patrimonial, jurisdicionada à Secretaria de Estado de Comunicação, nos termos do inciso V do art. 44 da Lei nº 20.491, de 25 de junho de 2019. É responsável por atender o cidadão com suas atividades de comunicação, por meio das concessões de Rádios e TV do Governo Estadual.

Mais informações sobre a história da ABC, clique aqui.

Sobre o Centro Cultural Oscar Niemeyer

De acordo com o site Goiás Turismo, o Centro Cultural Oscar Niemeyer, chamado carinhosamente pelos goianos de ‘Nie’ e também conhecido pela sigla C-C-O-N, é um complexo de espaços culturais com projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, inaugurado em 30 de março de 2006. Ele fica na Avenida Deputado Jamel Cecílio, Quadra Gleba, Lote 01, nº 4 490, Setor Fazenda Gameleira, na região Sudoeste de Goiânia. No mesmo site é possível encontrar informações sobre toda a área construída e finalidade de cada espaço.

ABC: venha debater no seu sindicato a defesa da ABC e dos jornalistas

O auditório do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás sediará reunião para debater a proposta de comunicação pública e plano de ações em defesa da ABC e dos(as) jornalistas no dia 11 de abril, às 19 horas.

É esperada a presença de todos(as) os(as) jornalistas da ABC, assim como a participação de outros defensores da comunicação pública.

Endereço: Avenida Anhanguera, 5389, Ed. Anhanguera, 13º andar, Centro – Goiânia – GO.