FENAJ e objETHOS lançam dossiê no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa

A publicação será apresentada em live na terça-feira (3) e relaciona violência contra jornalistas e precarização da profissão à degradação de direitos

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e o Observatório da Ética Jornalística (objETHOS) lançam na próxima terça-feira, 3 de maio, o dossiê “Ataques ao Jornalismo e ao Seu Direito à Informação”, uma publicação que aprofunda o debate sobre a violência contra o jornalismo no Brasil e seus impactos nos direitos da sociedade, como o direito à informação. Para marcar o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa e apresentar o dossiê, uma live no YouTube reúne a presidenta da Federação, Maria José Braga, e um dos coordenadores do grupo de pesquisa, Rogério Christofoletti. A live começa às 19h30 com transmissão simultânea por canais dos Sindicatos de Jornalistas de todo o Brasil no Facebook.

Produzido ao longo de três meses e dividido em quatro capítulos, o dossiê parte dos dados apresentados no “Relatório de Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa 2021”, elaborado anualmente pela FENAJ desde 1998, e analisa aspectos que envolvem o ambiente hostil para a atividade jornalística no país. “O monitoramento dos ataques é fundamental para documentar a escalada da violência, mas apontamos também no dossiê como a precarização do trabalho e a perseguição aos jornalistas afetam as vidas das pessoas comuns”, afirma Christofoletti. A presidenta da FENAJ explica que o lançamento da publicação no Dia Mundial da Liberdade de Imprensa é uma maneira de contribuir para o debate público e de ajudar a consolidar direitos no Brasil. Afinal, ataques ao jornalismo também ajudam a corroer a democracia e as conquistas civilizatórias acumuladas há décadas.

O dossiê

Com 41 páginas e em formato eletrônico para download, a publicação oferece análise, interpretação de cenários e recomendações práticas para o combate à violência contra os jornalistas.

Na primeira seção, assinada pelo professor Alisson Coelho, os números ganham rostos e nomes, com as histórias por trás dos casos que vão de campanhas difamatórias nas mídias sociais, como ocorreu com o repórter independente, Ed Wilson Araújo, a ameaças e intimidações diretas, como aconteceu com o editor-executivo de The Intercept Brasil, Leandro Demori.

Em seguida, a pesquisadora Janara Nicoletti traça uma relação nem sempre aparente entre a precarização do trabalho dos jornalistas e a violência que afeta esses profissionais. Por meio de relatos dramáticos e no diálogo com outros estudos, Janara mostra como as ameaças não vêm apenas de fora do campo profissional, mas muitas vezes estão no próprio local de trabalho, na forma de sobrecarga, assédios ou de atraso no pagamento de salários, como o que vem ocorrendo no Diário de Pernambuco desde 2019.

Discutir como os atentados à liberdade de imprensa, por meio de ataques a jornalistas, e a violação de Direitos Humanos, especialmente do Direito à Informação, é o foco da terceira seção do dossiê, assinada pelo pesquisador Rogério Christofoletti. Mais que problema de uma categoria profissional específica, a situação deveria preocupar a todos os cidadãos. Por meio de entrevistas com especialistas de instituições independentes que acompanham os riscos à liberdade de expressão e de imprensa em diversos países, como a Artigo 19 e a Repórteres Sem Fronteiras, o contexto brasileiro é analisado de forma aprofundada.

De autoria do presidente da Associação Brasileira de Pesquisadores de Jornalismo (SBPJOR),  Samuel Pantoja Lima, a quarta seção encerra o dossiê levando a questão da violência contra jornalistas e as ameaças à liberdade de imprensa a representantes de diversos setores da sociedade. Em destaque, o resgate sobre o Projeto de Lei 191/15 do deputado federal Vicentinho (PT/SP), que tem a proposta de federalizar os crimes contra a atividade jornalística. Ao final, o também coordenador do objETHOS enumera um conjunto de recomendações práticas para mitigar a violência contra jornalistas no Brasil.

Serviço: 

O quê? Lançamento do dossiê FENAJ-objETHOS “Ataques ao Jornalismo e ao Seu Direito à Informação”

Quando? Terça-feira, 3 de maio, às 19h30 

Onde? Canal da FENAJ no YouTube (tiny.cc/fenaj)

Fonte: objEthos / Fenaj

Jornalista tem 50% de desconto no show da banda Guns N’ Roses

O Sindjor Goiás celebrou convênio com a organização do Show da banda Guns N’ Roses. Jornalista com carteira da Fenaj tem 50% de desconto na compra do ingresso.

No dia do evento é obrigatório a apresentação da Carteira de Identidade de Jornalista.

Para realizar a compra basta acessar o site https://www.eventim.com.br/campaign/gunsnroses e inserir o código GUNSJORNALISTAS22. Válido na compra de até duas inteiras, enquanto durar a disponibilidade de ingressos.

FENAJ abre inscrições para curso “Como se proteger de ataques e ameaças online”

Estão abertas as inscrições para o curso “Como se proteger de ataques e ameaças online”, uma iniciativa da Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), com apoio do Fundo de Direitos Humanos dos Países Baixos. Dirigida a profissionais e estudantes de jornalismo, a formação é gratuita e acontecerá no dia 27 de novembro (sábado), das 9h às 16h, em plataforma digital. As inscrições vão até o dia 25/11.

Faça sua inscrição aqui

O curso faz parte do projeto “Monitoramento da Violência contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil – Ano 2021”, que tem por objetivo monitorar a crescente violência contra a categoria no país a partir da coleta de dados pelos 31 Sindicatos de Jornalistas filiados. Como parte dessa iniciativa, a FENAJ realizou, em agosto deste ano, o seminário online  “Violência contra Jornalistas: denunciar para combater e se proteger para evitar”.

O seminário foi dividido em duas etapas, sendo a primeira intitulada “Violência contra jornalistas: como, onde e porque denunciar”. A segunda etapa consiste no curso “Como se proteger de ataques e ameaças online”, que terá três módulos: Segurança digital e privacidade do jornalista, Atuação do jornalista nas redes sociais digitais e Como reagir a ataques online: medidas legais cabíveis e ferramentas de controle das plataformas.

O objetivo do projeto é capacitar jornalistas para promoverem denúncias sobre agressões e cerceamento ao exercício profissional, bem como para se defenderem de ataques virtuais, além de denunciar as agressões contra a categoria no Brasil e internacionalmente.

Confira a programação:

9h às 9h30 – Abertura

9h30 às 10h30 – Módulo 1 – Segurança digital e privacidade do jornalista

Neste módulo, serão apresentadas de forma didática as ferramentas para garantir a segurança online. O jornalista entenderá a importância de protocolos de segurança digital para evitar invasões e ataques de pishing e verá dicas do que fazer em casos de suspeitas de ataques.

10h30 às 12h – Módulo 2 – Atuação do jornalista nas redes sociais digitais

O módulo abordará a importância da transparência e como as novas tecnologias e padrões éticos são fundamentais para que o jornalista possa atuar de forma ativa em sua missão de contextualizar debates e propor discussões construtivas à sociedade, tendo por base a informação de interesse público.

14h às 16h – Módulo 3 – Como reagir a ataques online: medidas legais cabíveis e ferramentas de controle das plataformas

O módulo abordará o passo a passo do que pode ser feito em casos de assédio e de ameaças online, os órgãos de denúncia adequados e os possíveis recursos judiciais que podem ser aplicados. A importância das ferramentas de controle de conteúdo das plataformas para a defesa do jornalista.

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI

Sindjor Goiás e FENAJ repudiam ataque ao portal Mais Goiás

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e o Sindicato dos Jornalistas de Goiás (Sindjor Goiás) repudiam a agressão feita ao veículo Mais Goiás, que teve sua conta do Instagram derrubada, no domingo (12), após ataques coordenados motivados por contas de redes sociais bolsonaristas. O ataque ocorreu após artigo publicado pelo jornalista Pablo Kossa, “Bolsonarismo de ressaca”.

O Sindjor e a Fenaj ressaltam que a liberdade de imprensa é um dos pilares da democracia e que ataques contra opiniões contrárias somente revelam uma tendência autoritária. Desta forma, as entidades se solidarizam com o Mais Goiás e esperam que o veículo de comunicação recupere de forma breve a sua conta.

Vacinação de jornalistas: finalmente categoria foi incluída para receber a vacina da COVID-19

Profissionais da imprensa receberam a informação da inclusão no grupo prioritário para vacinação contra a COVID-19, em Goiás. O anúncio foi feito pelo governador do Estado, Ronaldo Caiado, por meio de suas redes sociais, nesta quinta-feira, 24 de junho. Desde dezembro de 2020 o Sindjor Goiás e a Fenaj vem buscando sensibilizar as autoridades sobre essa necessidade. 

De acordo com o presidente do Sindjor Goiás, Cláudio Curado, foram enviados três ofícios à Secretaria de Saúde de Goiás (SES-GO). “O sindicato, desde dezembro passado, tenta sensibilizar o governo para a necessidade de vacinar jornalistas e demais comunicadores contra a COVID-19. O primeiro ofício foi feito em dezembro, com resposta negativa, em fevereiro outro, sem resposta, e mais um abril”, afirma. 

No anúncio do governador foi informado que as novas remessas de vacina contra a COVID-19 terão reserva de 10% para garis, profissionais de imprensa e lactantes. Segundo ele, os 90% restantes serão para continuidade da imunização por idade decrescente. 

Até o momento, o Sindjor Goiás não recebeu informações sobre como serão os critérios para a vacinação de jornalistas em cada uma das cidades goianas, exceto Aparecida de Goiânia, cujo critério será o local de trabalho do/a jornalista. Conforme foi repassado ao Sindjor Goiás, serão vacinados em Aparecida de Goiânia os/as jornalistas que trabalharem em Aparecida, mesmo que residam em outra cidade. 

Demais ações do Sindjor Goiás e Fenaj

O presidente do Sindjor Goiás informa que no início do mês de junho esteve com o prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha e fez a entrega do ofício. 

Em Goiânia, solicitou ao presidente da Câmara Romário Policarpo, que apresentou requerimento aos demais vereadores, que aprovaram durante a sessão. O documento iria ser enviado ao prefeito, mas não houve retorno da Prefeitura de Goiânia até o momento.

Paralelamente a isso, jornalistas protocolizaram ofícios nas cidades de Porangatu, Niquelândia,  Anápolis,  Itumbiara,  Formosa, Catalão e Rio Verde. 

No dia 9 de junho, Dia Nacional da Imunização, o Sindjor Goiás apoiou e participou de ação promovida pela Fenaj, pedindo a vacinação da imprensa. Jornalistas goianos também aderiram à campanha, vestindo azul e publicando em suas redes sociais, com o objetivo de sensibilizar as autoridades. 

“Recebemos esse anúncio nesta quinta-feira, 24, com muita alegria, pois é uma necessidade do/a jornalista que está na linha de frente trazendo informação de qualidade para a sociedade e combatendo as fake news. Nossa reivindicação é justa. E, neste momento, aguardamos as orientações dos municípios goianos a respeito da vacinação. Em Goiânia, já me coloquei à disposição do secretário de comunicação para ajudar na definição dos critérios”, finaliza Cláudio.

Cláudio Curado e prefeito de Aparecida, Gustavo Mendanha
Cláudio Curado e chefia de gabinete do vereador Romário Policarpo
Sheilismar Ribeiro e a prefeita de Porangatu, Vanuza Valadares

Jander Paulo e prefeito de Formosa, Gustavo Marques

Câmara de Goiânia aprova requerimento para vacinação de jornalistas

O presidente do Sindjor Goiás, Cláudio Curado, esteve na Câmara Municipal de Goiânia nesta manhã, 8/6, para pedir apoio do presidente da Casa, vereador Romário Policarpo para a inclusão de jornalistas e comunicadores como prioridade para vacinação em Goiânia.

O vereador apresentou o requerimento na Câmara ainda na manhã do mesmo dia, que foi aprovado pelos demais vereadores. Agora, o documento será encaminhado ao prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, para aprovação.

Conforme Cláudio, os/as jornalistas estão expostos a riscos, no exercício da profissão para buscar as informações corretas para a sociedade, além de atuarem para combater as fake news. “É necessário vacinar os/as jornalistas para que possam continuar desempenhando o seu trabalho com maior segurança no combate à desinformação”, conclui.

Romário Policarpo | Foto: Mariana Capeletti – Câmara Municipal
Romário Policarpo | Foto: Mariana Capeletti – Câmara Municipal

“Em inúmeras capitais os jornalistas já estão sendo vacinados. Isso se deve a importância do esclarecimento da população, devido a necessidade de exporem em inúmeros contatos em busca de informações”.

Vereador Romário Policarpo.

Nota de repúdio em defesa da segurança de jornalistas

O Sindicato dos Jornalistas de Goiás e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) vêm publicamente, repudiar as covardes agressões sofridas pelos profissionais da TV Serra Dourada, jornal O Popular e Mais Goiás, durante o trabalho de cobertura de manifestação contra o fechamento do comércio, ocorrida na manhã desta segunda-feira, 15 de março. Ao mesmo tempo, se solidariza com os(as) jornalistas vítimas das agressões e cobra das empresas e do Governo Estadual, ações de proteção aos(as) jornalistas para que esses lamentáveis fatos não voltem a ocorrer.

Democracia exige jornalismo livre e jornalistas trabalhando com segurança!

Sindjor Goiás e FENAJ publicam nota de repúdio contra censura a jornalistas

Abaixo nota de repúdio, publicada nesta segunda-feira (21), pelo Sindjor Goiás e FENAJ contra censura a jornalistas do site Atilados e da Rádio Sucesso FM.

Nota de repúdio

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás (SindJor Goiás) e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) vêm, publicamente, repudiar a censura aos jornalistas Yago Sales dos Santos, Gabriella Braga, Leonardo Lucas Ferreira Elboni, do site Atilados, e Ravena Carvalho Machado e Messias Nogueira, da Rádio Sucesso FM, imposta pelo juiz Willian Costa Mello. 

Ele concedeu decisão provisória (tutela de urgência antecipatória) a ação movida pela advogada Maria Luiza Póvoa Cruz, que pediu a retirada do ar de reportagem “As ligações da ex-juiza e advogada Maria Luiza Póvoa Cruz” e o impedimento de divulgação de qualquer informação relacionada a ela, sob pena de multa diária.

A reportagem faz parte de uma série intitulada “Defesa Ardil”, que revela relações da advogada, que é juíza aposentada, com supostos golpes dados em proprietários de imóveis que teriam sofrido perdas milionárias.

Uma primeira tentativa de censura foi rechaçada pelo juiz plantonista Ronnie Paes Sandre. A ex-juíza voltou à carga e com o juiz Willian Costa Mello conseguiu a censura.

O SindJor Goiás e a FENAJ lembram que a censura judicial é um atentado à liberdade de informação jornalística, garantida pela Constituição Federal. Também alertam para o perigo da utilização da Justiça para intimidações a jornalistas. 

O ato de censura deverá ser questionado em outras instâncias judiciais e, se necessário, no Supremo Tribunal Federal, que tem a missão de guardar os preceitos constitucionais. 

O SindJor Goiás e a FENAJ colocam-se ao lado dos profissionais e conclamam a sociedade goiana a também se postarem contra a arbitrariedade e qualquer tentativa de cerceamento ao legítimo direito à informação.

Goiânia, 21 de dezembro de 2020.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás.

Federação Nacional dos Jornalistas. 

Sindjor Goiás e FENAJ publicam nota de repúdio em defesa do jornalista Paulo Beringhs

NOTA DE REPÚDIO

O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás (SindJor Goiás)
e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) vêm, publicamente, repudiar as agressões verbais do deputado Humberto Teófilo (PSL) ao jornalista Paulo Beringhs. Na sessão da Assembleia Legislativa desta quarta-feira, 27 de outubro, o deputado ocupou a tribuna para tentar desqualificar a pessoa e o profissional.

A pretexto de fazer a defesa do também deputado Major Araújo (PSL),
candidato a prefeito de Goiânia, Humberto Teófilo utilizou termos grosseiros para criticar a atuação de Beringhs na mediação de debate entre candidatos, promovido pela TV Brasil Central, e cobrou do profissional subserviência aos deputados pelo fato de ele ser funcionário comissionado da Assembleia.

O SindJor Goiás e a FENAJ alertam para o perigo das intimidações aos
profissionais que visam, invariavelmente, cercear a liberdade da informação jornalística. A crítica, muitas vezes legítima, não pode ser confundida com um pretenso “direito à violência”, ainda que verbal.

Historicamente, em períodos eleitorais crescem as agressões aos
jornalistas, evidenciando que nem sempre as regras democráticas e o respeito às instituições da democracia – entre elas a imprensa – são respeitados por aqueles que querem se eleger representantes do povo.

Sindicato e FENAJ prestam sua solidariedade a Paulo Beringhs e
conclamam a sociedade a repudiar toda e qualquer forma de agressão aos
jornalistas. Cidadãos e cidadãs têm direito à informação e o Jornalismo é a
atividade profissional por excelência que torna efetivo esse direito.

Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás
Federação Nacional dos Jornalistas

FENAJ propõe taxação das plataformas digitais e criação de fundo de fomento ao Jornalismo

A Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) realiza o lançamento virtual do manifesto Pela taxação das grandes plataformas digitais, pelo fortalecimento do jornalismo e pela valorização dos jornalistas. O evento, que acontece nesta terça-feira (6), a partir das 14h, terá participação do presidente da Federação Internacional dos Jornalistas, da presidenta da Federación de Periodistas de América Latina y el Caribe, da presidenta da FENAJ e do 1º Vice-Presidente do Instituto Justiça Fiscal. Saiba mais: https://bit.ly/3naTR3V

FENAJ defende amplo debate sobre remuneração do conteúdo jornalístico pelas plataformas digitais: https://bit.ly/3jkFK9M

FENAJ e Sindicato de SP condenam ataques a Luiza Bodenmüller no Twitter e cobram e cobram responsabilização de parlamentares e da plataforma: https://bit.ly/3neMM2n

Sinjope e FENAJ repudiam impedimento ao exercício profissional de jornalista em Recife: https://bit.ly/2SmzTVu

Sindicato dos Jornalistas do MT repudia nota de entidades patronais sobre recente viagem de comitiva presidencial ao estado: https://bit.ly/34cHgEs

Seminário internacional gratuito da ESPM discutirá pandemia e jornalismo: https://bit.ly/36o7ff3

Censura judicial à imprensa volta a atacar em São João del-Rei: https://bit.ly/33tnrtL

Comissão de Mulheres da Fenaj repudia nova portaria do Ministério da Saúde sobre aborto legal em estupro: https://bit.ly/3l96ZEG

Jornalistas do Correio Braziliense começam a receber atrasados após acordo judicial: https://bit.ly/2EUmwc5

JORNALISTA DE VERDADE TEM IDENTIDADE

Associe-se e tire sua carteira de jornalista com desconto! Ela vale como documento de identidade em todo Brasil. Veja aqui mais informações: https://bit.ly/3cv1htO

📲Siga a FENAJ nas redes sociais
@fenajoficial
(61) 3244.0650