Lançamento do livro “60 anos do golpe: gerações em luta”

507 Views

Goiânia será um dos palcos de um evento significativo na história literária e política do Brasil, marcando o lançamento nacional do livro “60 anos do golpe, gerações em luta”. Na capital goiana este evento ocorrerá no dia 1º de abril, às 20 horas, no Auditório da Adufg, reunindo diversas vozes e perspectivas sobre um período marcante da história brasileira. Simultaneamente, o livro será lançado na mesma data no Rio de Janeiro, São Paulo, Vitória, Curitiba e no Rio Grande do Sul. O lançamento em Goiânia tem o apoio do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás.

A obra é uma coletânea de textos de 60 autores que sobreviveram à ditadura militar que governou o Brasil por 21 anos, deixando um legado doloroso de mais de 600 mortos e desaparecidos. Em Goiás, o livro contou com a contribuição da jornalista Laurenice Noleto Alves – a Nonô Noleto e do jornalista Pinheiro Salles. Com 334 páginas, o livro apresenta uma variedade de artigos escritos por ex-combatentes do golpe e da ditadura, ex-coordenadores da Comissão Nacional da Verdade, membros do MG68, intelectuais, acadêmicos e representantes de diversas camadas sociais.

Em sua participação no livro, Nonô explica que sofreu demais no período da ditadura, juntamente com outras mulheres goianas. “No período das trevas, que foi a ditadura, perdemos parte das nossas vidas nas portas das prisões onde estavam nossos filhos, maridos, companheiros. E por isso mesmo, nunca parei de lutar pela preservação e aprofundamento da democracia; e pelo empoderamento e conscientização política das mulheres. Lembrar do passado e deixar visíveis as semelhanças com o presente é uma forma de dizer não ainda hoje, às tentativas de novos golpes contra a nossa Democracia”, afirma.

O jornalista Pinheiro Salles reforça relata no livro como os defensores da democracia e do socialismo eram arrastados para os porões. E reforça que tudo o que se disser ainda será insuficiente. “Com sequelas irreversíveis e as debilidades causadas pelos nove anos de cárcere, além da idade avançada, reconheço que já está curto o meu tempo de vida. Tenho muito mais passado que futuro. Então, não vou desperdiçar o que resta da minha existência. E não deixarei de contribuir para a tão necessária transformação política, econômica e social do mundo em que vivemos. Tenho a sólida convicção de que esse mundo é possível. Confio na classe trabalhadora. Eu acredito na humanidade”, afirma.

Francisco Celso Calmon, advogado, ativista e ex-preso político, é a mente por trás desta iniciativa. Ele propõe uma reflexão sobre o passado e o presente do Brasil com a pergunta: “Onde estávamos em 1964 e onde estamos em 2024?”. Esta questão norteia o conteúdo do livro, que conta com contribuições de brasileiros que vivenciaram essa época sombria.

Eugênio Aragão, ex-ministro da Justiça, endossa a obra na contracapa, destacando a excelência literária e política dos textos que compõem o livro. Ele ressalta a importância da luta contínua pela democracia que une todos os artigos.

O projeto do livro foi idealizado por Calmon em outubro de 2023 e rapidamente ganhou apoio de diversas organizações como o Canal Pororoca e grupos como Rede Brasil – Memória, Verdade e Justiça e Geração 68 Sempre na Luta. O livro não apenas reflete sobre o golpe contra a democracia ocorrido há seis décadas, mas também questiona o estado atual da democracia no Brasil.

O livro será comercializado por R$ 84,00 na noite de lançamento e, após, a R$ 90,00. A versão digital (em PDF) será disponibilizada gratuitamente em data a ser definida.

A solenidade em Goiânia contará com a apresentação do grupo de Percussão Coró de Pau e do Coral Harmonia em Saúde, integrado por servidores da Gerência de Pesquisa e Inovação da Secretaria da Saúde.

O auditório da Adufg fica na 9ª avenida, nº 193, Setor Leste Vila Nova, Goiânia-GO.

Comentar