4˚ Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos em Jornalismo

3,860 Views

No próximo dia 14 de fevereiro (terça-feira), às 19 horas, será feita a entrega dos troféus do 4˚ Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos em Jornalismo durante uma solenidade no auditório da ADUFG Sindicato ((9ª Avenida, Nº 193, Setor Leste Vila Nova).

Serão premiados os melhores trabalhos jornalísticos sobre temas de direitos humanos, em seis categorias: TV, Rádio, Fotografia, Web, Impresso e Arte (charges e ilustrações) nas modalidades profissional e estudante.

O evento faz parte da programação da VI Jornada Goiana de Direitos Humanos, que nessa edição comemora o Centenário de Dom Tomás Balduino, bispo dominicano incansável defensor dos direitos
humanos, dos direitos indígenas, dos trabalhadores sem terra, comunidades tradicionais e da justiça social. Também serão homenageados defensores e defensoras de direitos humanos por suas trajetórias de luta e resistência em defesa de outros mundos possíveis.

São eles: os militantes do MST criminalizados em 2016 em um processo inédito que tentou enquadrar o movimento como organização criminosa, Valdir Misnerovicz, Luiz Borges, Natalino de Jesus e Dyessika Lorena. O caso representa a origem do Comitê Dom Tomás, fundado justamente para
enfrentar a questão da criminalização dos movimentos sociais. E também será homenageado outro militante da luta em defesa da reforma agrária, Lázaro da Luz, preso em Itapaci no momento do lançamento do Comitê no auditório da Faculdade de Direito da UFG.

O troféu exclusivo do 4˚ Prêmio foi criado pelo artista plástico Carlos Monaretta, que buscou uma conexão simbólica com Dom Tomás Balduino por meio da forma das mãos de sua irmã, Anunciata Balduino, a partir da moldagem em resina. Na palma da mão-troféu, um punhado de sementes vermelhas de urucum fazem referência ao compromisso profundo de Dom Tomás com os povos indígenas e com a terra.

Em três edições, já foram premiados 29 jornalistas que deram visibilidade para a situação de direitos humanos em Goiás ao narrar fatos importantes da nossa realidade como o caso dos adolescentes queimados vivos no CIP, despejos forçados, violência e letalidade policial, refugiados, violência contra a mulher, o impacto da pandemia
na desigualdade social, entre outros.

Júri

Para avaliar as inscrições recebidas em 2022, foi formado um júri de especialistas em jornalismo e direitos humanos como Pinheiro Sales (jornalista e escritor), Clara Domingos (integrante do Coletivo Jornalistas Livres), Denize Bandeira (Mestre em Comunicação pela UFG), Luciana Dias (antropóga e coordenadora do Coletivo Rosa Parks) e Claudia Nunes (jornalista e integrante da coordenação doComitê Dom Tomás).

Homenagem especial

O Prêmio fará ainda uma homenagem especial ao jornalista e cineasta cubano Daniel Diez, fundador da emissora comunitária TV Serrana, que produz documentários com a participação dos camponeses e camponesas da região de Sierra Maestra. Premiado pela UNESCO, o projeto representa uma iniciativa de comunicação popular e democratização dos meios de produção audiovisual, que fortalece a cultura regional e dá visibilidade
para outras realidades do país.

O Prêmio Dom Tomás Balduino de Direitos Humanos é realizado pelo Comitê Goiano de Direitos Humanos Dom Tomás Balduino, Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da UFG, Sindicato dos Jornalistas de Goiás (Sindjor) e Núcleo de Estudos e Pesquisas em Direitos Humanos da UFG
(NDH UFG).

Texto: Claudia Nunes (Comissão organizadora)

Comentar