Nota oficial: em defesa do cumprimento da finalidade pública da ABC

2,877 Views

Há algum tempo, a sociedade goiana assiste estupefata ao desvio de finalidade de um bem público: a Agência Brasil de Comunicação (ABC), da qual fazem parte as rádios Brasil Central Am e FM e TV Brasil Central. Esses importantes veículos foram aparelhados pelo governo estadual e, mais grave ainda, tornaram-se espaço de reprodução de discursos da extrema-direita e da disseminação de informações falsas e/ou fraudulentas.

As rádios e a TV Brasil Central, cujas histórias foram construídas ao longo de décadas por profissionais da comunicação (jornalistas e radialistas) e outros servidores públicos comprometidos com a sociedade, foram transformadas em braço midiático de um projeto nacional da extrema-direita. Sob a farsa de jornalismo plural, abriu-se espaço para que representantes da extrema-direita usem um bem público para atacar a democracia e as instituições democráticas.

A ABC também se transformou em instrumento de perseguição política a adversários do governo. Profissionais do jornalismo chegaram a ser designados para fazer reportagens contrárias a um dos prefeitos da Região Metropolitana de Goiânia, num claro desvirtuamento da prática jornalística e de desrespeito aos profissionais. O jornalismo alimenta-se da crítica e da denúncia, mas ambas não podem ser dirigidas somente a adversários políticos. A credibilidade do jornalismo cai por terra se o governismo perpassa a cobertura jornalística do próprio governo estadual e as demais prefeituras do Estado.

Para o Sindicato dos Jornalistas de Goiás e a Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ é inaceitável as práticas de governismo, de ataques à democracia e às instituições democráticas, de disseminação de informações falsas e fraudulentas, como tem ocorrido nos veículos da ABC. Não é jornalismo abrir espaço a extremistas que utilizam a mentira e a desinformação para conquistar as mentes das pessoas. Não é jornalismo agir especificamente contra um adversário. Não é jornalismo alimentar o delírio golpistas dos que não aceitam as regras democráticas e a vontade soberana da população, expressa nas urnas.

Os veículos de comunicação da ABC notabilizaram-se por apresentar, aos goianos e ao mundo, as riquezas, as belezas e a cultura goiana, em toda sua pluralidade e diversidade. E, no jornalismo, foram até mesmo paradigmáticos, em coberturas históricas, como a do acidente radiológico com a cápsula de Césio- 137.

O Sindicato dos Jornalistas de Goiás e a FENAJ solidarizam-se com os/as jornalistas e demais profissionais da ABC, que têm resistido a esses desmandos e continuam trabalhando para atender à finalidade pública das rádios e da TV Brasil Central. As duas entidades colocam-se ao lado e à disposição dos/das profissionais, para o diálogo com o governo do Estado, na busca da retomada do fazer jornalístico, voltado aos interesses da sociedade.

É imperioso que, em seu segundo mandato, que se iniciará em 1º de janeiro, o governador Ronaldo Caiado devolva a ABC ao povo goiano, permitindo que as rádios e a TV Brasil Central retomem seus papéis históricos na produção cultural, de entretenimento e de informação jornalística.

Goiânia, 14 de dezembro de 2022.

Sindicato dos Jornalistas de Goiás – Sinjor/GO

Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ

  1. Isso se chama falta de caráter. E tenho plena convicção que essa rádio esta ganhando dinheiro por fora da opsição. isso qualquer leigo como eu sabe.
    Não trabalho com jornalismo, não conheço ninguém da ABC, so sei que por trás desse jeito de fazer rádio esta sendo patrocinada por algum figurão.

  2. Toda minha solidariedade aos jornalistas, radialistas e demais trabalhadoras e trabalhadores da ABC, que resistem heroicamente ao processo de desconstrução da TV Brasil Central e RBC AM e FM. Como ex funcionária de carreira, ex-diretora geral de todo esse complexo de comunicação e atualmente
    como diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás, além de reafirmar minha assinatura neste documento, reforço também o meu apoio a cada uma e cada um dos que assumem essa luta pela retomada do papel histórico da TBC e RBC – AM e FM na produção cultural, educativa, de entretenimento e de jornalismo de qualidade.
    Estamos juntos!
    Nonô Noleto

  3. Solidarizo-me com a resistência dos bons jornalistas da ABC e com a nota da Fenaj e do Sindicato dos Jornalistas de Goiás.

3 comments