Ex-presos políticos e anistiados repudiam nazifascismo e declaram apoio a Haddad

SHARE

Repudiamos o nazifascismo e apoiamos Fernando Haddad

Nós, ex-presos(as) e anistiados(as) políticos(as), declaramos nosso apoio à candidatura de Fernando Haddad a presidente da República. Temos uma longa luta em defesa das liberdades democráticas. Combatemos a ditadura implantada com o golpe de Estado de 1964. E, 33 anos após o fim oficial do regime militar, continuamos empenhados no aprofundamento das conquistas democráticas do povo brasileiro.

Somos sobreviventes. Todas e todos conhecemos os porões do Estado terrorista. Carregamos, ainda hoje, as indeléveis marcas das torturas que dilaceraram nosso corpo e nossa alma. Testemunhamos o assassinato de companheiros(as) que ousaram defender a democracia e os direitos humanos durante a tirania que durou 21 anos e cometeu crimes de lesa-humanidade. Lamentavelmente, porém, aqui no Brasil não foram punidos os agentes da tortura e da morte.

Sem dúvida, essa impunidade é um dos fatores que determinaram, neste ano de 2018, o surgimento de um candidato a presidente da República que elogia a ditadura e até homenageia torturadores. Esse candidato é o capitão reformado Jair Bolsonaro, que disputa o segundo turno das eleições presidenciais. Dentre as suas absurdas, esdrúxulas e fascistas declarações, ele afirma que o erro da ditadura foi ter deixado vivos muitos dos presos políticos que torturou.

Informa ter à sua cabeceira o livro do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, comandante do DOI-Codi de São Paulo (principal centro de terror da América Latina), a quem presta homenagem e de quem imprime a foto em camisetas dos seus cabos eleitorais. Apesar de tudo isso, com suas mentiras, calúnias e difamações ele consegue iludir e enganar uma parcela significativa dos eleitores. Portanto, não deixa de representar um elevado risco para todos(as) nós e para o conjunto da população.

O candidato e seu vice (também militar) sempre derramam ódio sobre negros, mulheres, homossexuais, índios, pobres, mães, avós, judeus e demais imigrantes. Nunca se viu nada igual na recente história do Brasil. Por isso, diante da insidiosa campanha dos inimigos da democracia, com nossos cabelos brancos e uma inabalável responsabilidade, decidimos apoiar a candidatura de Fernando Haddad, não aceitando retrocessos nem o aniquilamento ou extinção dos direitos conquistados.

Somos defensores(as) da justiça, da solidariedade e da paz. Reprovamos a estratégia agressiva de quem prega o combate à violência com violência maior. Valorizamos a vida e a liberdade, longe do preconceito e do ódio. Não toleramos o fascismo, o nazismo e todos os regimes e governos que desqualificam e aviltam a nossa condição humana.

Ditadura nunca mais!

Goiânia, outubro de 2018

Pinheiro Salles – ex-preso e anistiado político, vice-presidente da Comissão Nacional de Ética dos Jornalistas e presidente da Comissão da Verdade, Memória e Justiça do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás

Laurenice Noleto Alves – anistiada política, escritora e secretaria da Comissão da Verdade, Memória e Justiça do Sindicato dos Jornalistas de Goiás

Dirce Machado da Silva – ex-presa e anistiada política, combatente da Guerrilha de Trombas e Formoso

Genésio Borges de Melo – ex-preso e anistiado político

Elio Cabral de Souza – ex-preso e anistiado político, ex-presidente da Anigo (Associação dos Anistiados de Goiás)

Walderês Nunes Loureiro – ex-presa e anistiada política, doutora, ex-diretora da Faculdade de Educação da UFG e ex-secretaria de Educação de Goiânia

Sebastião Neto – Intercâmbio, Informações, Estudo e Pesquisa (IIEP) e Fórum de Trabalhadores e Trabalhadoras por Verdade, Justiça e Reparação

Jorge Panzera – anistiado político, servidor público, presidente do PCdoB no Pará e membro do Comitê Central do PCdoB

Vera Vital Brasil – ex-presa política, psicóloga

Maria de Fátima Oliveira Setúbal – ex-presa e anistiada política

Jucilene Barros – filha de mãe desaparecida e pai assassinado na Guerrilha do Araguaia, psicóloga, presidenta da Federação de Mulheres de Goiás e Presidenta do PPL

Dulce Pandolfi – ex-perseguida política

Ana Miranda – ex-perseguida política

Angela Arruda – ex-perseguida política

Maria Angélica Gentili – ex-perseguida política

Irene Gomes – advogada de anistiados e anistiandos políticos

Lícia Maciel Hauer – perseguida e exilada política, filha de Hélia Maciel Hauer e Lycio Hauer, exilados no Chile e na Suíça, professora aposentada do Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro

Vera Daisy Barcellos – jornalista diplomada, sindicalista, integrante do movimento feminista das mulheres negras

Luis Carlos Santos – ex-preso político e anistiado – Goiás

Neso Natal – ex-preso político e anistiado – Goiás

Paulo de Tarso Carneiro – ex-preso e anistiado político e bancário aposentado