Fenaj FenajPrev FNDC
Menu
Redes Sociais
Untitled Document

Face

Destaques
  • .: - Conselho de Comunicação do Congresso
    FENAJ apresenta e Conselho aprova critérios para...


  • .: - Em defesa dos direitos trabalhistas
    Não ao golpe e ao desmonte do Estado brasileiro!


  • .: - NOTA OFICIAL fenaj
    O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo...


  • .: - REAJUSTE SALARIAL
    Depois de meses de negociação, o Sindicato dos Jornalistas...


  • .: - Nota de esclarecimento e repúdio
    O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás e a...


  • Galeria de Fotos
    imagem 005 263fe5 1 11 09 2013 14 59 18 1 11 09 2013 14 49 35 1
    11 09 2013 14 54 44 1 11 09 2013 14 55 19 1 11 09 2013 14 49 35 1

    NOTA OFICIAL fenaj

    em: 05-04-2017 09:50:00 (217) .:

    O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) e a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) protestam contra a condução coercitiva do blogueiro Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania, levado de sua residência na capital paulista, na manhã desta terça-feira (21), para prestar depoimento à Polícia Federal (PF) no âmbito da Operação Lava Jato.

    Guimarães teve seu apartamento vasculhado, foram apreendidos seu celular, notebook e um pen drive de uso pessoal e o blogueiro foi conduzido à Superintendência da PF no bairro da Lapa, zona oeste paulistana.

    A Polícia Federal, em mais uma demonstração de arbitrariedade e violação de direitos inspirada na época da ditadura militar no país, quer violar o sigilo de fonte por Guimarães ter vazado a informação de que o ex-presidente Lula seria conduzido coercitivamente pela PF, o que forçou o adiamento da ação no ano passado.

    Além da arbitrariedade da condução coercitiva, sem que qualquer intimação prévia tenha sido feita ao blogueiro, a PF devassa dados pessoais e desrespeita o sigilo de fonte garantido pela Constituição Federal em seu Artigo 5º, parágrafo XIV, em que define que ´“é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte, quando necessário ao exercício profissional”.

    A Polícia Federal ataca, ainda, a liberdade de imprensa e de expressão do blogueiro – a mesma PF que tem vazado informações seletivamente de acordo com os próprios interesses, sem levar em consideração os interesses da sociedade.

    O SJSP e a Fenaj expressam seu veemente repúdio à arbitrariedade da Polícia Federal, pois a condução coercitiva do blogueiro também representa um terrível precedente, que coloca em risco um dos mais importantes princípios do jornalismo – garantir o direito da população à informação.

    O Sindicato e a Federação também se colocam à disposição de Eduardo Guimarães para lutar contra mais esse ato de lamentável autoritarismo e censura, além de prestar solidariedade e apoio na adoção de todas as medidas legais cabíveis.

    São Paulo, 21 de março de 2017.

    Direção do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo
    Federação Nacional dos Jornalistas – Fenaj

    REAJUSTE SALARIAL

    em: 31-10-2016 09:52:32 (462) .:

    Depois de meses de negociação, o Sindicato dos Jornalistas fechou acordo com as empresas e os jornalistas contratados terão reposição de 5% em seus salários. Essa reposição é retroativa a maio/16 e deve ser paga imediatamente.

    Devemos ressaltar que as empresas tinham oferecido 0% de reposição. Isso mesmo: NADA. O sindicato pediu a reposição integral do INPC – 9,2%. Depois de meses de negociação, fechamos em 5%. E foi incluída cláusula de revisão da reposição salarial para janeiro de 2017.

    Essa reposição é válida para todos os jornalistas contratados, filiados ou não ao Sindicato. A reposição, ao longo de um ano, dará o equivalente a 60% de um salário a mais no bolso de cada jornalista.

    No próximo pagamento, grande parte dos jornalistas, filiados ou não, vai receber o contracheque com o desconto legal da Taxa Assistencial. Ela está prevista em lei federal e será de 5%, como determina a legislação. Ela ajuda a bancar parte das despesas da negociação, como custas jurídicas. É uma forma legal e justa de todos ajudarem o Sindicato nessa luta de anos e que beneficia a todos.

    Lembramos que nos últimos anos o Sindicato conseguiu aumentos acima da inflação em várias oportunidades, tanto para salários quanto para o piso salarial. E somente conseguiremos continuar essas conquistas se mais jornalistas entenderem a importância de fortalecerem o Sindicato. Seja se filiando, ou mesmo participando das atividades sindicais. 

     

    Nota de esclarecimento e repúdio

    em: 22-09-2016 08:12:33 (467) .:

    O Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás e a Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ), a respeito de post publicado hoje, 21 de setembro de 2016, no perfil do senhor Hugo Studart, no Facebook, vêm de público prestar esclarecimentos à categoria e à sociedade.

    Sem qualquer fundamento, esse senhor, que se identifica como jornalista, divulga numa rede social informações caluniosas e injuriosas ao Sindicato, à Federação e a seus dirigentes, em fato relacionado ao 37º Congresso Nacional dos Jornalistas, realizado em Goiânia de 25 a 28 de agosto. Se agisse como jornalista, respeitaria o princípio básico da profissão, que é o da apuração dos fatos em vez de fazer uma denúncia infundada. Se agisse como cidadão de bem, não imputaria crimes a entidades e pessoas, adotando, ele sim, postura criminosa.

    NÃO, NÃO É VERDADE o que afirma o referido senhor, que houve R$ 300 mil em patrocínio ao evento. Banco do Brasil, em contrato assinado, comprometeu-se em disponibilizar R$ 30 mil, que ainda não foram repassados à FENAJ. Petrobrás, também em contrato assinado, comprometeu-se em disponibilizar R$ 50 mil em patrocínio, que também ainda não foram repassados; enquanto o governo de Goiás colaborou com cerca de R$ 70 mil para pagamento das despesas de hospedagem e alimentação, pagos diretamente ao hotel onde foi realizado o 37º Congresso Nacional dos Jornalistas.

    FENAJ e Sindicato dos Jornalistas de Goiás também receberam apoio da Unimed Goiânia, da Federação do Comércio do Estado de Goiás e da Federação da Indústria do Estado de Goiás, em doações de passagens aéreas. Tudo isso possibilitou a realização do evento, que é um congresso sindical deliberativo e que tem como público principal os delegados eleitos nos sindicatos de jornalistas de todo o país.

    NÃO, NÃO É VERDADE o que afirma o referido senhor, que as peças de divulgação e os materiais do Congresso não trouxeram as logomarcas dos patrocinadores e que estas teriam sido acrescentadas somente na “prestação de contas”. Cartazes (da segunda edição, impressa após as assinaturas dos contratos), banners, faixas, bolsas, camisetas, blocos de anotações e até mesmo os certificados de participação trazem as marcas dos patrocinadores e apoiadores, conforme estabelecido nos contratos.

     Todos (as) participantes do 37º Congresso Nacional são testemunhas inclusive de que os patrocinadores e apoiadores foram citados nos três dias do evento e têm em mãos provas inquestionáveis de que tiveram a contrapartida de verem suas marcas estampadas nos materiais do evento, porque todos (as) receberam bolsa, camiseta, bloco de anotações e certificado de participação.

    NÃO, NÃO É VERDADE o que afirma o referido senhor, que algum participante do Congresso tenha sido agredido por manifestar opinião divergente da quase totalidade dos jornalistas brasileiros que participaram do evento.

    NÃO, NÃO É VERDADE o que afirma referido senhor, que a FENAJ e o Sindicato sejam comandados por espertalhões, no sentido de que quem quer enganar e tirar vantagem.  Mas o pior ainda está por vir. O referido senhor não querer levantar suspeitas, mas insinua que os dirigentes sindicais podem desviar os recursos arrecadados para a realização do evento. Nossos dirigentes têm história no movimento sindical dos jornalistas brasileiros e são reconhecidos pela categoria. Nunca é demais lembrar que a FENAJ não tem um único diretor liberado para as atividades sindicais e que o trabalho sindical não é remunerado.  O mesmo ocorre no Sindicato dos Jornalistas de Goiás e na grande maioria dos Sindicatos de Jornalistas do país.

    Feitos os esclarecimentos, a FENAJ e o Sindicato dos Jornalistas de Goiás repudiam a atitude do senhor Hugo Studart e informam que, a contragosto, vão adotar as devidas providências legais na busca de reparação.

     

    Goiânia, 21 de setembro de 2016

     

    Luiz Antonio Spada

    Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás

    Maria José Braga

    Presidenta da Federação Nacional dos Jornalistas

    

    Documento sem título